Faça o seu comentário

Este post não permite comentários

Comentários

avatar
LoiraInteligente em 15 de abril de 2011 às 08:24:12»
Silvia,

Parece que você vive aqui no cerrado. Moça de coragem e determinação.
Isso que você viu é muito comum não só em repartição pública, mas em todo lugar. As pessoas perderão a cortesia, a delicadeza e a gentileza. Com isso o respeito ao próximo está quase nulo.
Felizmente há pessoas com o mesmo espírito justiceiro que você e chama á consciência quem dela esqueceu.
Cá entre nós, você também é "Maria das dores"? Pensei que você apenas o Evandro e eu.
Um abraço
avatar
silvia pertusi em 14 de abril de 2011 às 16:07:26»
Amigos queridos,
longe de mim ser exemplo para alguem ou para qualquer coisa, meu depoimento foi um grito para que todos saibamos dos nossos direitos e que tenhamos coragem de lutar por eles.
Sabe aquela música: cada um no seu quadrado, eu sou fã de quem a escreveu, pena não saber quem foi, pois se cada um de nós ficassemos no nosso proprio quadrado não quenedo ultrapassar os limites do direito alheio, tudo com certeza seria mais facil e mais honesto.

Beijos a todos. fool fool
avatar
Gabriel Tavares em 14 de abril de 2011 às 12:52:44»
Silvia, você é a imagem e semelhança da minha mãe, e acho que a nossa sociedade perdeu a vergonha na cara, esqueceu o que é a ética. Post nota 10!
avatar
Marya em 14 de abril de 2011 às 10:42:06»
Me lembrei de quando eu trabalhava num hospital, em casa sofri um acidente e fiquei com uma dor na costela insuportável.
No dia seguinte fui trabalhar com aquela dor e todos me aconselharam a passar pelo médico do hospital, já que eu trabalhava num hospital.
Então, para não ser como essa funcionária que vc citou, fui até a administração do hospital pedir permissão para ser atendida por um médico.
A secretária do diretor disse para eu voltar ao meu trabalho que já já ela me chamava.
Voltei ao meu trabalho e esperei a manhã toda ser chamada, depois esperei a tarde toda e nada, e com dor.
Já na hora de ir embora subi à administração para ver o motivo de não ser chamada, a secretária simplesmente havia ido embora e se esquecido de mim.
Legal né?
Meses depois saí daquele hospital horrível, lá vi muitos casos de descaso ao público, coisa terrível.
ma ma
avatar
Evandro Eloy em 14 de abril de 2011 às 08:08:05»
São exemplos assim que precisamos Silvia, a única hora que vejo algum político demagogicamente deixar sua vez é na hora do voto, em que ele tem prioridade de votar e fica querendo "enrolar" na fila querendo arrancar de última hora alguns parcos votos...
Estas formas de companheirismos dentro de repartições públicas somente deixam o serviço cada vez mais desacreditado.